Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Num primeiro momento, para uma pessoa que está fora deste mundo, iniciar os estudos necessários para começar um investimento em Bitcoin e compreender o mercado de criptomoedas pode parecer intimidador e confuso.

Se você for uma pessoa técnica, vai provavelmente procurar fundamentos tecnológicos no algoritmo da Blockchain que te gerem valor e justifiquem o aumento significativo de capitalização de mercado que o Bitcoin apresentou nos últimos anos.

Caso você seja uma pessoa que já investe em outros ativos, vai procurar estudiosos e influenciadores da sua confiança e observar suas opiniões sobre qual lugar o Bitcoin poderia ocupar na sua carteira de investimentos.

Agora, se você for uma pessoa que entende de economia, vai procurar investigar os fundamentos que regem a rede Bitcoin e quais espaços este ativo pode ocupar de forma micro e macroeconômica nos nichos financeiros: moedas fiduciárias, órgãos governamentais e grandes players, que possuem o respaldo e confiança de décadas de existência.

Todos esses tipos de análise são válidos mas limitados. Assim, para fazer uma análise mais completa do Bitcoin, é preciso costurar uma “colcha de retalhos” e agregar todos esses pontos de vista, mesmo que de forma superficial.

É possível citar todos os aspectos positivos de cada uma das análises citadas acima, porém, cada pessoa, com seu arcabouço de conhecimentos específicos, vai saber analisar à sua maneira a melhor forma de se posicionar neste ativo.

E quando você não se limita a uma única perspectiva e desenvolve seu senso crítico, buscando diversas fontes de informação, certamente não terá uma visão distorcida e tendenciosa da realidade.

Pensando nisso, elencamos neste artigo alguns fatores que vão te ajudar a entender mais facilmente que, no Bitcoin, há uma excelente oportunidade de investimento.

Como investir em Bitcoin com segurança? 5 fatores para observar antes de começar.

1. Entenda o básico da tecnologia blockchain

Investimento em Bitcoin: por onde começar?

O surgimento da tecnologia Blockchain, não só permitiu o funcionamento das criptomoedas de forma geral, mas também permitiu a modificação e adaptação desse sistema para atender diferentes indústrias.

Além de impactar na criação de novos produtos financeiros, a blockchain também trouxe melhorias para outros setores como logística, segurança da informação e saúde.

Não é preciso ter profundo conhecimento técnico em blockchain para iniciar um investimento em Bitcoin, mas compreender a tecnologia e o seu funcionamento, para além do mundo financeiro, vai te trazer uma segurança ainda maior na hora de fazer os seus aportes e também ao transacionar suas criptomoedas.

Essa importante base de conhecimentos tecnológicos vai te auxiliar também na gestão das informações sobre as suas chaves públicas e privadas, caso você faça a custódia das suas criptos.

2. Escolha uma corretora confiável para seu investimento em Bitcoin

Investimento em Bitcoin: escolha uma corretora confiável.

Semelhante aos demais investimentos, previamente, vale pesquisar quem está por trás da empresa onde você irá fazer o seu investimento em Bitcoin. Você sabe quem é o CEO e os demais diretores da exchange?

Pesquisar o currículo dessas pessoas, outros projetos com os quais elas estão associadas e o que elas já criaram no passado, são ótimas referências. Afinal, elas são as responsáveis pela maioria das tomadas de decisão dentro da empresa que está intermediando as suas operações.

A história da empresa como um todo também entra nesse mix de investigação da reputação da empresa. É importante saber, por exemplo, se ela já sofreu ataques cibernéticos e como isso foi resolvido. Matérias na imprensa e em canais de alta credibilidade também são fortes indicadores de que a empresa é confiável.

3. Acompanhe o histórico de preços do Bitcoin

Analisar o histórico de preços do Bitcoin tem relevância fundamental para o entendimento da volatilidade deste ativo. Você vai perceber que a cotação do Bitcoin obedece à lei da oferta e da demanda.

Inicialmente, não parece ser um fator importante, já que é uma característica que permeia outros ativos de alto risco, mas diferente de ativos tradicionais, o Bitcoin tem uma altíssima liquidez a nível global. Isso faz com que a percepção de valor se traduza de uma forma bem mais ágil na sua cotação.

Crises globais, restrições governamentais ao Bitcoin ou reservas de valor em território nacional, guerras, mudanças na regulação. Todos esses cenários são capazes de gerar um forte impacto no preço do ativo.

Além disso, o Bitcoin não tem período de fechamento, então, as oscilações mais fortes podem ocorrer, literalmente, a qualquer momento. Já que a criptomoeda não depende de horário comercial ou bancário para ser negociada.

Entender a volatilidade do investimento em Bitcoin é de suma importância para desenvolver uma estratégia lucrativa de negociação ao longo do tempo. Um ótimo exercício prático é simular pontos de compra e venda ao longo do tempo, calculando o resultado final e compreendendo as possibilidades de oscilações, dado o histórico.

4. Custódia de criptomoedas: onde armazenar os seus Bitcoins?

Investimento em Bitcoin: onde custodiar?

Era uma regra comum entre os primeiros negociantes de criptomoedas que esses ativos precisariam estar encarteirados sob custódia própria para que aqueles fossem, de fato, seus.

O grande receio dos investidores é de ficar exposto a ataques cibernéticos ou até mesmo sofrer golpes de players mal intencionados que nascem com o intuito de sequestrar esses valores ou utilizá-los para práticas financeiras ilícitas.

A custódia própria, porém, inclui o risco de perder ou esquecer as chaves privadas. Além disso, demanda investimentos que vão além da simples aquisição dos ativos, como a compra de hardware wallets e pagamento de taxas de transferência caso você queira transacionar suas criptomoedas via blockchain.

Hoje, já existem corretoras e bancos digitais sérios que fazem a custódia desses ativos seguindo um padrão de segurança tão elevado quanto o de bancos e corretoras tradicionais.

Na prática, a infraestrutura operacional aplicada nos bancos digitais que operam com ativos virtuais não é tão diferente daquela utilizada pelos grandes bancos. Ao optar por armazenar suas moedas nestas instituições, os investidores transferem a elas a responsabilidade da custódia.

Desta forma, todo o armazenamento dos ativos é gerido por equipes especializadas que dispõem dos melhores recursos tecnológicos para impedir uma invasão e recuperar algum acesso perdido.

Fazer seu investimento em Bitcoin e custodiar suas criptomoedas num banco digital ou corretora anula o risco de esquecer as suas chaves privadas e, consequentemente, perder de forma definitiva o acesso às suas criptomoedas.

5. Diversifique seus investimentos em criptomoedas

Investimento em Bitcoin: diversifique seu portfólio.

Uma prática amplamente conhecida por quem já opera com ativos de renda variável, com o intuito de reduzir o risco atrelado aos seus investimentos, é a diversificação da sua carteira.

Aportar em setores ou empresas que tenham um baixo nível de correlação, ou seja, que não possuem um comportamento semelhante de variação de preços, permite uma melhor equalização da rentabilidade esperada sobre a quantia alocada.

Essa mesma estratégia pode ser aplicada quando falamos de investimento em Bitcoin.

Por ser um ativo de alto risco, é interessante ter um pequeno percentual da sua carteira alocado em criptomoedas. Mas, caso o seu portfólio de investimentos esteja todo em criptomoedas, a dominância do Bitcoin pode se tornar um problema, já que fortes oscilações na cotação da principal criptomoeda geralmente impactam as altcoins, já que elas têm um alto grau de correlação.

Uma das formas mais conservadoras de aportar em criptomoedas é realizar compras sequenciadas para que se tenha um maior controle sobre o preço médio pago por aqueles ativos e aguardar a valorização no médio e longo prazo, acompanhando ciclos de cotação.

Quanto menor a janela de tempo para fazer seu investimento em Bitcoin, maior é o risco, já que as movimentações de compra e venda do ativo precisam ser mais intensas, o que incorre num grande investimento de tempo e sobriedade nas compras e vendas.

Investimento em Bitcoin: estude o mercado e a tecnologia por trás das criptomoedas

Agora que você já conhece critérios importantes para avaliar na hora de fazer o seu investimento em Bitcoin, é só continuar aprofundando os seus estudos e ajustar a sua estratégia de acordo com seus objetivos financeiros.

Lembre-se, a porcentagem relativa de investimento alocado em criptomoedas deve ser sempre proporcional ao seu conhecimento sobre este universo.

Curtiu o nosso conteúdo? Continue acompanhando o Blog do Zro e fique por dentro de tudo o que você precisa saber sobre criptomoedas, blockchain, finanças e a nova economia!